Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Um Dia Marcante Para a Humanidade - 10º aniversário.

Sobre um dia tão trágico como este, há sempre muito a dizer. Mas também há o silêncio de empatia, aquele silêncio em que não são precisas dizer palavras pois estas e os sentimentos são os mesmos entre duas ou mais pessoas. E é assim que me sinto para com os familiares e amigos que viram a vida de alguém inocente e que amavam ser roubada de forma tão atroz.

 

Jamais esquecerei este dia 11 de Setembro. Por muitas razões. É por isso que recupero, hoje, o post que escrevi em 2007 acerca deste dia.

 

 

"Faz hoje 6 anos que aconteceu o ataque terrorista ao World Trade Center. Enquanto for viva, jamais esquecerei o que aconteceu, e este dia em particular.
 
Decorria o ano de 2001, um dos anos mais difíceis da minha vida. Foi o meu ano de estágio, mas estágio à moda antiga com atribuição de turmas, regências, reuniões com as orientadoras na escola, e aulas com os orientadores da universidade. Ainda por cima calhou-me o colega de estágio que não deveria calhar a ninguém.: surfista patrocinado pela universidade, que fez a licenciatura à borliu e à conta dos colegas, que ia dar aulas assistidas com directas em cima e altos bafos a álcool e que pensava que ia fazer o estágio à conta desta tansa. Enganou-se. Esclareci logo que não iria trabalhar com ele pois encostava-se a mim para fazer as coisas.
Conclusão: o meu colega só não foi excluído de estágio porque já era muito ”tarde”.
 
Lembro-me perfeitamente que no dia 11 de Setembro fomos almoçar ao restaurante chinês que havia perto da escola. Sentámo-nos, fizemos os nossos pedidos e, subitamente, começam a mostrar imagens do atentado no telejornal da hora do almoço. Já não conseguimos comer nada de jeito… não tirávamos os olhos da TV, estupefactos com o que estava a acontecer perante os nossos olhos.
Decidimos ir para a escola. Já ninguém conseguiu fazer nada. Nesse dia as aulas já não foram aulas mas conversa. Os miúdos também estavam preocupados com aquilo que lhes estava a chegar aos ouvidos.
Alguém foi buscar uma televisão para a sala dos professores e, quem não tinha aulas ou nos intervalos, estava a assistir ao decorrer dos acontecimentos.
 
Para mim esta situação foi, e ainda é, altamente revoltante. Não compreendo como em nome de uma religião se matem pessoas inocentes.
Espero que o bom senso se instale no coração dos homens e que os deuses, sejam eles quais forem, não permitam que aconteça mais nenhuma tragédia como esta à Humanidade…"

 

O meu desejo profundo, é que o Homem tenha aprendido algo com esta tragédia e se tornado num verdadeiro Ser Humando, e que tenha aprendido a resolver diferendos com não-violência. Mas ainda não estou convencida disto.